Plataformas não existem.

A sequência de posts é a seguinte

  1. Plataformas não existem.
  2. O real futuro das plataformas.
  3. E onde entram os tokens?
Platform Design Masterclass — London Nov 2018
http://www.smartcitieslab.com/?nevonproducts=smartquesina

Apple Store.

Open Desk.

  1. Conecta compradores com designers e fabricantes locais.
  2. Explica como as estratégias de plataforma não são apenas sobre o site
  3. Linguagem: para que isso acontecesse, eles tinham que escolher uma maneira de projetar móveis, uma linguagem. É feito de compensado (material) e não precisa de pregos ou cola. A linguagem faz parte da plataforma: para mobilizar um ecossistema você tem que escolher o ‘idioma’ que você usará.

Mas porque isso acontece?

O potencial está nas fronteiras
  1. A tecnologia digital está tão difundida que está dando um novo potencial às pequenas entidades nas fronteiras dos sistemas: hoje é possível criar uma enorme quantidade de valor com meios de produção muito baratos. A maior parte do valor é criada no computador e no telefone e essas ferramentas estão nas margens do sistema, elas não estão apenas nas empresas.
  2. O potencial para criar valor está se movendo na fronteira e ele fica menos no centro. Estamos mudando do modelo de pipeline de negócios para o modelo de rede. Estamos nos movendo em um sistema em que as empresas estão no ponto médio e estão trabalhando como orquestrador de rede para conectar esse sistema.
Tudo que pode se tornar uma plataforma, se tornará uma plataforma.

The Network Imperative

Por que você quer abraçar o pensamento de plataforma?

The Artisanal Pencil Sharpening.

Como criar essa personalização nos mercados industriais?

Voltando ao exemplo da Apple

  1. Choudary: plataforma como modelo de negócio, uma infraestrutura. Foco no aspecto tecnológico aqui: um modelo de negócios a partir do qual você pode se conectar. Uma empresa possui modelos de negócios onde existem algumas funções que as entidades podem desempenhar. Infraestrutura possibilitando entidades participantes de modelos de negócios da empresa. [Glovo, Airbnb, Uber…]
  2. Hagel III: plataforma fornece espaço onde você pode interagir com os outros e ao mesmo tempo, dá-lhe as regras. Metáfora do futebol: você pode jogar futebol porque existe o espaço, existem as regras que definem como você pode jogar futebol, há um árbitro que pode impor as regras. Se não houver regras claras, não há uma participação clara. Plataforma é algo que permite jogar.
  3. Hagel III: o aspecto da mensagem, a narrativa. Para mobilizar um mercado, você precisa construir uma mensagem, uma narrativa de transformação positiva. Hangel tem essa ideia muito interessante da narrativa de oportunidades ampliadas. Pergunte a si mesmo como você pode dizer ao mercado que existe um potencial que eles podem expressar. Há muito mais oportunidades do que o que existe agora.

Ferramentas <> Mídia <> História

  • Interno > sem mais burocracia
  • Externo > esse processo de criação de valor acontece cada vez mais, e começa ou termina fora do limite da organização tradicional.

Plataformas são acordos de colaboração escaláveis.

Referências

  1. Building Ecosystem-Organisations
  2. The Real Future of Platform Economy
  3. Long Tails, Aggregators and Infrastructures
  4. Tokens, Platforms and Value Chains
  5. Market Networks, Innovation and Digital Value Chains
  6. Understanding Platforms through Value Chain Maps
Existe uma versão em português do White Paper — https://bit.ly/PDT_Whitepaper_PT

Antes de você ir!

--

--

Estratégia & Design para Plataformas e Ecossistemas. UX Lead @Boundaryless. #PlatformThinking #UX #Branding

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store